O Farmacêutico Clínico em drogaria

Tempo de leitura: 7 minutos

Erinaldo Assis dos Santos é um Farmacêutico clínico com versatilidade demonstrada na adaptação a uma complexidade crescente na indústria dos cuidados de saúde. Está empenhado na prestação de cuidados farmacêuticos de qualidade como um elo essencial na gestão da doença. Farmacêutico licenciado com conhecimentos das diretrizes, receitas médicas e legislação na área farmacêutica, profissional com experiência e com fortes competências de liderança e de criação de relações. Farmacêutico orientado para os detalhes, atualmente age em farmácia clinica, interessado em farmacologia clínica, gestão farmacêutica e investigação.

1- Há quanto tempo você atua com esse serviço farmacêutico de farmácia Clinica? 

Acho que desde sempre! – como assim? Você deve esta se perguntando? então: mesmo antes de ser Farmacêutico sempre me interessei e me preocupei com esta área do cuidado, em especial , no uso racional de medicamentos, mas te respondendo mais precisamente: desde quando me formei, tanto que fiz a especialização na área clinica.

2- Como foi a aceitação da comunidade diante desse serviço diferenciado? 

Podemos dizer que até hoje é sempre uma novidade, quando falo do serviço as pessoas não compreendem ao certo para que serve; mas isso é devido a cultura brasileira, não procuram se atualizar com as novas ideias que surgem e também ao fato de acreditarem que doença está relacionado somente ao médico. Mas existem pessoas que brilham os olhos quando sabem que tem um farmacêutico ao seu dispor, e isso é muito gratificante: ser reconhecido pela sua importância na sociedade.

3- Os serviços são cobrados? 

Quando se trata de valores as coisas mudam: algumas pessoas rejeitam o serviço ao falar de preços e outras dão valor por estarem pagando, mas particularmente: uns eu cobro e outros não, porque atualmente atuo em uma Drogaria e assim sendo os serviços gratuitos facilitam a fidelização do cliente e faz com que aquele “cliente/paciente” retorne sempre, mas, serviços mais complexos ou pessoas que vem de fora (já vem atrás do serviço, mas não são de sua carteira de clientes ) estes sim são cobrados. 

4- Como você concilia os atendimentos com as demais tarefas administrativas e logísticas de farmacêutico? 

Por ser um serviço ainda novo, e não muito procurado, dá para estipular em fazer em horários pré-agendados ou se organizar internamente em seus serviços corriqueiros pela manhä e fazer os atendimentos pela tarde e a noite,  claro, que para um farmacêutico acaba sendo bem puxado o horário

5- Quais são as principais dificuldades do processo? 

Quando se fala em dificuldades se abre um leque muito grande de possibilidades, mas, a dificuldade esta na própria pessoa, surgem os questionamentos em seu eu: será que sou capaz?, será que dou conta?, compensa fazer isso?… Mas tem também as dificuldades externas tais como : Vigilância local, propagar e levar ao conhecimento a importância do serviço e em se tratando de um farmacêutico funcionário a aceitação financeira por parte do empresário. 

Sala de orientação farmacêutica
Dr. Erinaldo na sala de orientação farmacêutica

6- Você faz parcerias? 

Então, parceria com um serviço ainda não muito bem falado é bem complicado, mas sim : tentei com laboratórios clínicos para um melhor preço nos exames solicitados. Mas seria muito bom um encaminhamento dos Postos Saúde, UPAS e etc, ai sim o serviço seria e teria uma razão positiva, pois as demandas maiores estão nestes locais.

7- Como é feito o acompanhamento e registro dos atendimentos? 

O acompanhamento é mediante necessidade do paciente ou agendamento para reavaliação. Existe no mercado sistemas automatizados para registros de todas as atividades que o Farmacêutico pode desenvolver, como está bem inicial eu ainda uso o que o CFF disponibiliza (Sistema Registre), o mesmo tem que passar por algumas melhorias mas atende bem quem está iniciando.

8- Qual a estrutura física mínima você recomenda para os atendimentos? 

Tratando-se de estrutura para o serviço vai depender do público, do conforto a ser ofertado, do tipo de serviço feito, mas ter um espaço de pelo menos 4 metros quadrados já está bem legal e é claro, seguindo os requisitos mínimos como pia para lavar mãos , mesa com cadeiras e etc. 

9- Conte-nos um caso marcante no qual o atendimento farmacêutico foi essencial na reabilitação da saúde do paciente: 

Dr. Erinaldo aferindo a glicemia de um paciente.
Dr. Erinaldo aferindo a glicemia de um paciente.

Tenho a felicidade de ter vários casos positivos bem sucedidos, escolher um é bem difícil, mas tem um que marcou e sempre ficará marcado: foi um caso de uma paciente obesa, 47 anos na época, polimedicada + alguns que fazia de  automedicação, no entanto, esta não aceitava meus serviços mas eu sempre via ela comprando vários medicamentos, até que houve um dia que eu atendi o telefone e era ela passando muito mal e sem conseguir respirar direito, solicitou uma bombinha para asma, e eu já tinha visto ela comprando em meses anteriores um medicamento para pressão arterial (propranolol), lembrando disso, perguntei como estava a pressão relatou que estava bem,  ai continuei indagando por que do uso desta medicação , e ela usava por conta própria porque era um receituário antigo, pedi para que ela parasse de tomar este propranolol e com 2 dias ela baixou no hospital  porque a falta de ar não melhorou muito, quando ela relatou para o médico que estava fazendo uso de alguns medicamentos o médico apontou o propranolol , foi quando ela comentou que o farmacêutico tinha suspendido, ele confirmou que se não fosse a suspensão deste medicamente ela teria falecido, a partir daí o próprio medico encaminhou a tal cliente para meus serviços para que eu continuar a acompanha-la , e com isso , ela começou aderir os serviços clínicos farmacêuticos.

10- Aborde algum tema relevante que você gostaria de frisar sobre a sua atuação em farmácia clinica e por fim deixe-nos uma mensagem final para os que desejam implantar esse tipo de serviço em seus estabelecimentos. 

Tratando-se da saúde tudo acaba sendo muito relevante, mas o que tenho percebido em meus atendimentos é a reavaliação dos medicamentos de uso continuo tais como: hipertensão, diabetes e colesterol; devido ao difícil acesso nas unidades de saúde pública os pacientes usam a mesma medicação por longuíssimos anos mesmo percebendo que não está 100% o efeito (para + ou para -) e outras param de tomar porque passou mal e não vai atrás para trocar. Nesta parte o farmacêutico que tem este toque ou visão clínica , tem que agir para que não haja problemas relacionados mal uso das medicações e fazendo que haja um efeito terapêutico positivo.

Reflexão: Acredito que cada um veio ao mundo com um propósito, se o seu foi de ser farmacêutico e você tem esse desejo pela área do cuidado que é essa parte clinica, vista a camisa, atualiza-se e jamais pare de estudar,  vamos fazer o bem juntos; temos um símbolo que fala tudo “temos em nossas mãos o poder da cura” Deus é conosco …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *