VARÍOLA DE MACACO

VARÍOLA DE MACACO

Tempo de leitura: 3 minutos

HÁ VACINA CONTRA VARÍOLA DE MACACO?

A varíola dos macacos é transmitida pelo vírus monkeypox, que pertence ao gênero orthopoxvirus. É considerada uma zoonose viral (o vírus é transmitido aos seres humanos a partir de animais) com sintomas muito semelhantes aos observados em pacientes com varíola, embora seja clinicamente menos grave. O período de incubação da varíola dos macacos é geralmente de seis a 13 dias, mas pode variar de cinco a 21 dias, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O nome monkeypox se origina da descoberta inicial do vírus em macacos em um laboratório dinamarquês em 1958. O primeiro caso humano foi identificado em uma criança na República Democrática do Congo em 1970. Atualmente, segundo a OMS esclareceu, a maioria dos animais suscetíveis a este tipo de varíola são roedores, como ratos e cão-da-pradaria.

A transmissão ocorre por contato próximo com lesões, fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados, como roupas de cama. A transmissão de humano para humano está ocorrendo entre pessoas com contato físico próximo com casos sintomáticos, onde á contato com fluidos corporais (saliva, muco nasal, pús) e estudos afirmam que o vírus monkeypox pode ser encontrado no sêmen sugerindo também transmissão sexual.

Porem…

Não existem tratamentos específicos ou vacinas contra a varíola dos macacos, mas a OMS ressalta que a vacina para a varíola tradicional, que foi erradicada com a campanha de imunização que durou até a década de 1970, é até 85% eficaz para prevenir casos da versão que se espalha hoje.

Quem nasceu na década de 1980 para frente não recebeu doses da vacina porque a doença foi considerada erradicada no Brasil em 1973. Também não há consenso na comunidade científica se quem tomou a vacina ainda tem algum tipo de proteção.

Embora ninguém saiba quanto tempo a proteção gerada pela vacina permanece, especialistas acreditam que pessoas vacinadas apresentam proteção parcial.

E QUANTO A DÚVIDA SOBRE A MARCA QUE A VACINA DEIXA NO BRAÇO?

Pode haver dúvida se a marca de vacina no braço é um indicativo de que a pessoa recebeu a vacina contra a varíola. A questão é tanto a vacina da varíola quanto a BCG, imunizante contra tuberculose ainda utilizado hoje, deixam uma marca parecida.

Segundo especialistas: As cicatrizes resultantes da vacina BCG tendem a ser planas ou elevadas, enquanto as cicatrizes da varíola são deprimidas são uma simplificação excessiva e pode gerar confusão. Como as marcas são resultado de uma reação do corpo, pessoas podem ter rações e marcas diferentes como resultado da mesma vacina.

foto fonte: Organização Mundial da Saúde – OMS e Centro de Controle de Doenças CDC
foto fonte : Organização Mundial da Saúde – OMS e Centro de Controle de Doenças CDC

Fonte:

– Biblioteca Virtual de Saúde – Varíola de Macaco. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/02-6-variola-dos-macacos/

– Revista Exame – Varíola do macaco: há vacina para ser aplicada em toda a população no Brasil? Disponível em: https://exame.com/brasil/variola-do-macaco-ha-vacina-para-ser-aplicada-em-toda-a-populacao-no-brasil/

– IG Saúde – Vacina da Varíola: Quem está protegido ou não no Brasil? Disponível em: https://saude.ig.com.br/2022-05-30/vacina-variola-protegido-nao-brasil.html#:~:text=No%20Brasil%2C%20a%20imuniza%C3%A7%C3%A3o%20de,pessoas%20vacinadas%20apresentam%20prote%C3%A7%C3%A3o%20parcial%20.

– INSTITUTO BUTANTAN – Varíola dos macacos pode se tornar um problema de saúde pública se não houver bloqueio de transmissão. Disponível em: https://butantan.gov.br/noticias/variola-dos-macacos-pode-se-tornar-um-problema-de-saude-publica-se-nao-houver-bloqueio-de-transmissao-diz-cientista-do-butantan

foto fonte: Organização Mundial da Saúde – OMS e Centro de Controle de Doenças CDC

foto vacina: freepik

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.