Por que precisamos vacinar as crianças contra a Covid-19?

Por que precisamos vacinar as crianças contra a Covid-19?

Tempo de leitura: 10 minutos

Nesse artigo falaremos com a Dra. Carolina Maria Xaubet Olivera (Farmacêutica, Coordenadora do Programa Educação em Saúde na Pediatria, Vinculada ao Centro Brasileiro de Informação sobre Medicamentos-Cebrim-CFF) sobre a importância da imunização do público infantil.

“Declaro a ausência de conflito de interesses ao expressar a minha opinião pessoal sobre o tema e não reflete necessariamente a opinião do órgão que tenho vínculo empregatício.”

Introdução

Desde o início da pandemia, mais de 6,8 milhões de crianças nos Estados Unidos tiveram teste positivo para o novo coronavírus. Mais de 600 delas morreram; mais de 200 delas eram menores de 5 anos (Whashing Post, 2021).

Houve mais de 325.000 casos de coronavírus pediátricos relatados nos Estados Unidos durante a semana que terminou em 30 de dezembro, de acordo com dados da Academia Americana de Pediatria. Embora as crianças sejam responsáveis ​​por um número muito pequeno de hospitalizações e  das mortes relacionadas ao vírus, pesquisas mostram que a variante delta altamente contagiosa levou a um aumento nos casos pediátricos. Isso, junto com a notícia da variante ômicron, é o motivo pelo qual muitos pediatras estão solicitando a vacina para proteger as crianças (The Washington Post, 2021b).

Os hospitais pediátricos em partes dos Estados Unidos estão lotados de crianças infectadas pela variante ômicron do coronavírus. Cerca de 800 crianças foram admitidas quase todos os dias nesta semana, com as de Ohio, Texas, Pensilvânia e Nova York. Mesmo com a projeção geral da doença menos grave como resultado do ômicron, os especialistas em pediatria temem que mais crianças possam ser admitidas em hospitais nas próximas semanas, devido ao grande número de crianças com probabilidade de estarem infectadas (The Washington Post, 2021b).

A cada 2 dias, uma criança de 5 a 11 anos morreu de Covid no Brasil.  Brasil registrou 301 mortes de crianças entre 5 e 11 anos em decorrência do coronavírus desde o início da pandemia até o dia 6 de dezembro de 2021. Isso corresponde a 14,3 mortes por mês, ou uma a cada dois dias, segundo dados da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 (Metrópoles, 2021).

Segundo a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), além dos casos de SRAG por Covid-19, até o último dia 27 de novembro, foram confirmados 1.412 casos da Síndrome Inflamatória Multissistêmica (SIM-C) Pediátrica associada à Covid-19 em crianças e adolescentes de zero a 19 anos – entre os diagnosticados, 85 morreram (Metrópoles, 2021).

“É bom que crianças de 5 a 11 anos tenham essa opção disponível para elas”, disse Diana Wakim, de 31 anos de Columbus, Ohio, e mãe de um menino de 2 anos, sobre o coronavírus vacina. “Mas estamos apenas sentados aqui, girando nossos polegares e pensando: “Quando seremos protegidos?” Quando podemos manter nosso filho seguro e nós mesmos?” (Whashing Post, 2021).

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomenda que todas as pessoas com 5 anos ou mais recebam uma vacina COVID-19 para ajudar na proteção contra COVID-19 (CDC, 2021).

A vacinação generalizada para COVID-19 é uma ferramenta crítica para melhor proteger todos contra complicações relacionadas ao COVID-19. Crianças e adolescentes totalmente vacinados podem retomar com segurança muitas atividades que faziam antes da pandemia (CDC, 2021).

Atualmente, o CDC recomenda para algumas crianças imunocomprometidas com idades entre 5–11 anos uma dose adicional da vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 para completar a série primária – um total de três doses (Metrópoles, 2021).

Diante do quadro exposto acima e visto que a maioria das famílias terá perguntas sobre como vacinar seus filhos, apresentamos respostas às dúvidas mais comuns a seguir.

Mitos e fatos sobre a vacinação COVID-19 em crianças de 5 a 11 anos 

MITO: A vacina COVID-19 para crianças não é segura (CDC, 2021).

FATO: A vacina COVID-19 para crianças entre 5 e 11 anos foi submetida a avaliações completas pela Food and Drug Administration (FDA) e pelo CDC. As vacinas COVID-19 foram e continuarão a ser submetidas ao monitoramento de segurança mais intensivo da história dos Estados Unidos. A vacina COVID-19 para crianças é segura e eficaz. Ele passou por uma revisão rigorosa e agora foi autorizado pelo FDA e recomendado pelo CDC para crianças entre as idades de 5 a 11 anos, após testes completos de segurança em milhares de crianças. As vacinas COVID-19 para crianças de 5 a 11 anos foram desenvolvidas e testadas da mesma forma que as vacinas COVID-19 para adultos. Em ensaios clínicos, os efeitos secundários da vacina foram ligeiros e semelhantes aos observados em adultos e com outras vacinas recomendadas para crianças. O efeito colateral mais comum foi dor no braço. Esses efeitos colaterais podem afetar a capacidade do seu filho de realizar as atividades diárias, mas devem desaparecer em alguns dias. Algumas pessoas não apresentam efeitos colaterais e as reações alérgicas graves são raras (CDC, 2021).

MITO: É mais seguro para meu filho desenvolver imunidade ao ser infectado com COVID-19 do que construir imunidade ao tomar a vacina (CDC, 2021).

FATO: Vacinar crianças de 5 anos ou mais contra o COVID-19 é a melhor maneira de protegê-las do COVID-19. Ninguém deve tentar se expor a si mesmo ou a outras pessoas ao COVID-19 de propósito. O risco de infecção por COVID-19 nas crianças é semelhante ao dos adultos. Quando as crianças contraem a COVID-19, elas podem ficar doentes por vários dias e faltar às aulas. Crianças que não foram vacinadas e contraem COVID-19 também podem correr risco de doenças pós-COVID-19 prolongadas, hospitalização, SIM-C ou morte. A vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 é mais de 90% eficaz na prevenção da COVID-19 em crianças de 5 a 11 anos. Vacinar as crianças de 5 anos ou mais pode ajudar a protegê-las contra o recebimento do COVID-19, bem como mantê-las na escola e em atividades em grupo, ajudando a impedir a disseminação do COVID-19 em sua comunidade (CDC, 2021).

As crianças podem ter efeitos colaterais após serem vacinados, que são semelhantes aos que podem sentir após receber as vacinas de rotina. Quaisquer efeitos colaterais devem desaparecer em alguns dias. Em raras situações, a vacinação com COVID-19 pode resultar em efeitos colaterais mais graves, como uma reação alérgica grave ou miocardite e pericardite (inflamação do músculo cardíaco) (CDC, 2021).

MITO: As vacinas COVID-19 causam infertilidade e outros problemas reprodutivos (CDC, 2021).

FATO: Não há evidências de que qualquer uma das vacinas COVID-19 cause problemas de fertilidade em mulheres ou homens. Não há evidências de que quaisquer vacinas, incluindo vacinas COVID-19, possam causar problemas de fertilidade feminina ou masculina. Não há evidência de que os ingredientes da vacina ou anticorpos desenvolvidos após a vacinação com COVID-19 possam causar problemas em engravidar no futuro. Da mesma forma, não há evidências de que a vacina COVID-19 afete a puberdade. Organizações médicas profissionais que atendem pessoas em idade reprodutiva, incluindo adolescentes, enfatizam que não há evidências de que a vacinação com COVID-19 cause perda de fertilidade. Essas organizações também recomendam a vacinação COVID-19 para homens e mulheres que desejam ter um filho no futuro (CDC, 2021).

MITO: Como as crianças não são gravemente prejudicadas pela COVID-19, não vale a pena correr o risco de se vacinar (CDC, 2021).

FATO: Os benefícios da vacinação com COVID-19 para crianças de 5 a 11 anos superam os riscos conhecidos e potenciais. A vacinação contra o COVID-19 pode proteger seu filho a partir de 5 anos de receber o COVID-19. Ele também pode proteger seu filho de doenças graves, hospitalizações ou o desenvolvimento de complicações de longo prazo, caso receba COVID-19. Nos ensaios clínicos da vacina COVID-19 que foram conduzidos com milhares de crianças, nenhuma preocupação séria de segurança foi identificada após a vacinação e os efeitos colaterais foram leves e não tiveram quaisquer efeitos duradouros. Algumas crianças não terão quaisquer efeitos secundários e os efeitos secundários graves são raros. Ao contrário dos efeitos colaterais leves que alguns podem sentir após a vacinação, as crianças infectadas com COVID-19 correm o risco de ficar muito doentes. Em outubro de 2021, crianças de 5 a 11 anos tiveram mais de 8.300 hospitalizações relacionadas ao COVID-19 e quase 100 mortes por COVID-19. Na verdade, COVID-19 está entre as 10 principais causas de morte de crianças de 5 a 11 anos. Além disso, as crianças podem ter condições de curto e longo prazo após a infecção. Crianças que são infectadas com COVID-19 também podem desenvolver condições pós-COVID que podem durar várias semanas ou mais e também podem desenvolver complicações graves como SIM-C,  uma condição em que diferentes partes do corpo ficam inflamadas. De abril de 2020 a outubro de 2021, mais de 2.300 casos de MIS-C foram relatados em crianças de 5 a 11 anos (CDC, 2021). 

Os resultados do estudo de Woodruff e colaboradores (2022) identificam crianças com risco potencialmente maior de COVID-19 grave que podem se beneficiar dos esforços de prevenção, incluindo a vacinação. As taxas estabelecem uma linha de base para monitorar as mudanças na gravidade da doença pediátrica após o aumento da disponibilidade de vacinas COVID-19 e o surgimento de novas variantes.

Conclusão

Os benefícios da vacinação com COVID-19 para crianças de 5 a 11 anos superam os riscos conhecidos e potenciais. 

Referências

The Washington Post. Children 5 and older now have a coronavirus vaccine. But many parents of younger kids are still anxiously waiting. 2021.Disponível em:https://www.washingtonpost.com/health/2021/11/30/covid-vaccine-children-under-5/ 

American Academy of Pediatrics. Children and COVID-19: State-Level Data Report. Disponível em: https://www.aap.org/en/pages/2019-novel-coronavirus-covid-19-infections/children-and-covid-19-state-level-data-report/ 

The Washington Post. Omicron and children: Pediatric hospitals in parts of U.S. filling fast. 2021b. Disponível em: https://www.washingtonpost.com/health/2021/12/24/omicron-children-hospitalizations-us/?utm_campaign=wp_main&utm_medium=social&utm_source=facebook 

Metrópoles. A cada 2 dias, uma criança de 5 a 11 anos morreu de Covid no Brasil. Disponível em: https://www.metropoles.com/saude/a-cada-2-dias-uma-crianca-de-5-a-11-anos-morreu-de-covid-no-brasil 

Centro de Controle e Prevenção das Doenças – CDC. Vacinas COVID-19 para crianças e adolescentes. Disponível em:  https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/vaccines/recommendations/children-teens.html 

Woodruff RC; Campbell AP; Taylor CA; Chai SJ; Kawasaki B; Meek J; Anderson EJ; Weigel A; Monroe ML; Reeg. Risk Factors for Severe COVID-19 in Children. Risk Factors for Severe COVID-19 in Children. Pediatrics. 2022; 149 (1): e2021053418. Disponível em: https://publications.aap.org/pediatrics/article/149/1/e2021053418/183463/Risk-Factors-for-Severe-COVID-19-in-Children?searchresult=1  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.