O que você precisa saber sobre os repelentes

O que você precisa saber sobre os repelentes

Tempo de leitura: 4 minutos

Desde 2014, no Brasil, os repelentes têm sido mais procurados devido ao aumento e surgimento de doenças como: a dengue, a febre Chikungunya e o Zika vírus. Todas essas doenças são transmitidas pelo mesmo mosquito, o Aedes aegypti, com exceção da Febre Chikungunya, que também pode ser transmitida pelo vetor Aedes albopictus.

Uma das formas de se prevenir seria com o uso de repelentes. Atualmente, existem três substâncias ativas sintéticas, registradas e classificadas como cosméticos pela Anvisa:  IR3535, DEET e Icaridina. Existem também produtos contendo o extrato vegetal ou o óleo de plantas do gênero Cymbopogon (citronela) que também são registrados pela Anvisa.

Confira no link a lista dos cosméticos registrados pela Anvisa.

Saiba alguns detalhes sobre os principais ativos presentes nos repelentes:

  • IR3535

Outros nomes: Também conhecido como EBAAP

Significado da sigla: Ethylbutylacetylaminopropionate

Forma(s) farmacêutica(s): loção e spray

Precauções:  Segundo a Literatura relacionada, não deve-se associar aos itens listados abaixo pois essa junção pode ativar o mecanismo de ação do hospedeiro:

  • aminoácidos;
  • açúcares;
  • ácido latico;
  • proteínas;
  • colesterol;
  • determinadas substâncias aromáticas ou perfumes que
    podem ativar o mecanismo de ação do hospedeiro.

IR 3535

créditos da imagem: Wikimedia 

 

  • DEET

Outros nomes:  não possui

Significado da sigla: N,N – dietil-meta-toluamida ou N,N – dietil-3-metil-benzamida.

forma(s) farmacêutica(s): loção, spray, gel, aerossol

Precauções: Segundo a Resolução – RDC – 19, de 10 de abril de 2013, o DEET:

  • Não é permitido em crianças menores de dois anos;
  • É permitido em crianças de dois a doze anos de idade, desde que a concentração não seja superior a 10%, restrita a apenas três aplicações diárias, evitando-se o uso prolongado;
  • São permitidas as formulações contendo DEET, em concentrações superiores a 30% (trinta por cento) para pessoas com idade superior a 12 anos, desde que sejam realizados estudos de avaliação de risco para humanos, levando-se em consideração a frequência de aplicação.

DEET

 

 

 

 

 

créditos da imagem: Wikipedia

 

  • Icaridina

Outros nomes: Também conhecido como Picaridina ou KBR 3023

Significado da sigla: Hidroxyethylisobutylpiperidinecarboxylate

Forma(s) farmacêutica(s) : spray e gel

 

PICARIDINA

 

 

 

 

 

 

Créditos da imagem: Wikimedia

É importante ressaltar, que de acordo com a RDC 19/2013, a rotulagem dos produtos cosméticos repelentes de insetos deverá constar obrigatoriamente:

I – o tempo para reaplicação do produto com base no resultado do teste de eficácia da espécie de mosquito que resultou em menor tempo de repelência, obedecendo, quando for o caso, o número de aplicações máximas;

II – o ingrediente ativo e sua composição;

III – as frases de advertência:

  • “Aplicar nas áreas expostas somente quando necessário.”;
  • “Não utilizar se a pele estiver irritada ou lesionada.”;
  • “Cuidado com os olhos.”;
  • “Lavar as mãos com água e sabão após o uso.”;
  • “Cuidado: perigoso se ingerido.”;
  • “Em caso de intoxicação e/ou reações adversas, suspender o uso e procurar o Centro de Intoxicações (Disque Intoxicação: 0800 722 6001) ou  Serviço de Saúde levando a embalagem ou o rótulo do produto.”;
  • “Conservar o produto longe do alcance de crianças e animais.”
  • “Não reutilizar as embalagens vazias.”;
  • “Manter o produto na embalagem original.”;
  • “Não aplicar na região dos olhos, boca e mucosas.”;
  • “Em caso de contato com os olhos, lavar imediatamente com água corrente em abundância.”;
  • “Para uso durante a gravidez e amamentação, consulte um médico”.

Na rotulagem dos produtos do tipo aerossóis ou spray, além dos itens acima citados, deverão constar obrigatoriamente:

  • “Evitar a inalação do produto.”
  • “Para aplicar no rosto: aplique primeiramente o produto nas mãos e a seguir leve ao rosto.”

É importante lembrar que o uso de repelentes não dispensa nem substitui as demais medidas de combate às doenças transmitidas por mosquitos.

Saiba mais

Recomendações técnicas ao Sistema Nacional de Vigilância Sanitária para colaborar no combate ao Aedes aegypti e prevenção e controle da Dengue, Chikungunya e infecção pelo vírus Zika

Referências

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) Repelentes e inseticidas: Perguntas & Respostas.

All Chemistry Literatura Repelente de Insetos IR 3535

Exposis Linha de Produtos

Crédito da imagemFlickr

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *