Covid-19: Formas de transmissão

Tempo de leitura: 2 minutos

A COVID-19 é uma doença que apresenta grande transmissibilidade, o que fez com que ela se espalhasse por todo o planeta, causando a atual pandemia enfrentada por nós.

A COVID-19 apresenta um período de incubação (período entre o contágio e o surgimento dos sintomas) de cerca de 14 dias. Porém sendo sintomático ou não, a pessoa infectada pode e certamente irá transmitir a doença a pessoas saudáveis, se medidas de contenção não forem adotadas.

A principal forma de transmissão da COVID-19 é por contato com o doente, que, ao tossir, espirrar ou falar, elimina gotículas respiratórias, que acabam contaminando outras pessoas. Além disso, ao tossir ou espirrar, o doente pode contaminar objetos. 

Uma pessoa sadia, ao tocar um objeto contaminado e levar a mão à boca, nariz ou olhos, sem antes higienizá-las, pode também se contaminar. Por isso medidas de isolamento e higienização são importantes, uma vez que a pessoa contaminada, que pode não estar apresentando sintomas, também pode falar e dispersar gotículas com vírus em embalagens e produtos em exposição em algum lugar, fazendo com que o vírus de espalhe de forma indireta também.  

Até o momento podemos identificar a higiene como a melhor forma de prevenção da doença, ela aliada ao distanciamento entre pessoas é super importante para esse combate.

É conselhável ter em mente que secreções orofaríngeas são as principais formas de dispersão do vírus por uma pessoa contaminada. Entretanto, pessoas doentes não devem doar sangue e as mães podem transmitir a doença aos filhos ainda na gestação. Muito embora não haja um estudo que confirme a transmissão entre pessoas por meio do sangue, placenta, células-tronco e medula óssea, por riscos de contaminação e risco a vida dos próprios doadores, pessoas contaminadas não devem doar estes materiais.

Outro grande questionamento se trata das fezes e sêmen humano. Ponto que ainda não é consenso na comunidade científica, porém recomenda-se que não se consuma alimentos crus sem uma ótima garantia de procedência, que se mantenha a higiene pessoal, importante para a não transmissão de outras doenças igualmente graves também.

Essa medida se dá porque o vírus SARS-CoV-2 causados da COVID-19 já foi identificado no intestino e nas fezes de pacientes contaminados, o que nos remete a uma possível contaminação por contato oro fecal.

Quanto ao sêmen humano, alguns estudos têm sugerido que ele é sim capaz de conter e transmitir o coronavírus a pessoas saudáveis. De qualquer forma, atos sexuais comuns envolvem outras formas de contato e troca de fluidos, entre eles a saliva, que transmite, sim, o coronavírus.

Por isso evite compartilhamento de objetos pessoais, locais onde você possa estar em aglomerações, não toque objetos de uso comum, sem prévia higienização e evite beijar e fazer sexo com pessoas desconhecidas. Estamos em pandemia e todo cuidado é importante para manter a saúde.

crédito da imagem: Unsplash

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *